O Tratado de Schengen consiste em um acordo que permite a livre circulação de cidadãos em vários países da Comunidade Europeia. Nas fronteiras entre um país membro e outro, não há nem se quer a necessidade de apresentação do passaporte – uma vez que o indivíduo já tenha entrado em um dos países membros.

Agora, você conhece a origem e a história que envolve a criação do Tratado de Schengen? Confira abaixo e compartilhe também com outros viajantes curiosos.

História do Tratado de Schengen

Tudo começou em 1985, quando os países Holanda, Luxemburgo, França, Alemanha e Bélgica assinaram o Tratado a bordo de um gigante barco nas proximidades da região de Schengen (pequeno distrito localizado em Grevenmacher, Luxemburgo).

No ano de 1990, a Itália passou a fazer parte do Tratado. Em 1991, ingressaram Portugal e Espanha. A partir de então, ano após ano, os países europeus também começaram a demonstrar interesse em fazer parte do acordo. Hoje, até o presente momento, 27 países fazem parte do tratado.

Lembrando que não há nenhuma relação entre o Espaço de circulação Schengen com a União Europeia – apesar de os países integrantes de ambos serem praticamente os mesmos. Sendo assim, o Tratado em si não abrange a circulação livre de mercadorias – mas unicamente, de pessoas.

Com o acordo, tanto cidadãos nascidos em tais nações como indivíduos de outros países que estejam viajando exclusivamente pelos países-membro do Tratado não precisam se submeter, a cada fronteira, aos procedimentos de controle.

Porém, para os viajantes, é necessário cumprir com alguns pré-requisitos antes de iniciar a viagem pela Europa. Quer saber quais são eles? Leia nossa matéria sobre os países-membros do Tratado de Schengen e confira tudo sobre o tratado e Seguro Viagem Obrigatório.